A Arrieiro Software foi criada em 1993, com lançamento do Dimensionamento de Pórtico, na versão DOS. Anteriormente fazíamos programas para "consumo próprio" utilizados na indústria de pré-moldados que tínhamos. Um programa muito utilizado era o "FleComp", que calculava flexão composta.

Qualquer dia lançaremos o mesmo aqui, de brinde. Mas na versão windows, claro :) O mesmo quebrou muito o galho, porque qualquem dimensionamento de flexão simples ou composta, lá estava o FleComp.

Hoje a Arrieiro Software conta, além de mim, eu, eu e eu. Hahahahahaha. Tô brincando, na verdade contamos com alguns colaboradores parceiros. Por isso estamos conjugando no plural.

Meu nome é Paulo Roberto Pereira Arrieiro, tenho 54 anos, nasci em Penápolis, interior de SP. Sou casado com minha querida Lucimara e tenho dois adoráveis filhos: Paulo Roberto e Alice.

Sou formado em Engenharia Civil pela EESC-USP em São Carlos.

Na universidade, a informática (ciências de computação) sempre me fascinou, adorava Fortran, na época que a gente digitava linhas de programação em cartões perfuráveis.

Depois saia da sala de digitação, com aquele pacote de cartões, se ocorresse algum esbarrão e os cartões fossem ao chão, nossa... recolocá-los em ordem era terrível. Depois, processava os mesmos num poderoso IBM/360, numa sala toda refrigerada.

Acredito que o equivalente deste IBM é um PC que você compra nas Casas Bahia.

Voltando, fiz meu curso todinho orientado para cálculos estruturais e pré-moldados de concreto. Meu desejo era sair, trabalhar e depois montar uma indústria de pré-moldados. Não me passava pela cabeça ser um engenheiro de obras.

Em 1981 consegui meu intento, criamos uma indústria de pré-moldados em Campo Grande-MS. Já em 1986 ela detinha 20% do segmento de lajes pré-moldadas do mercado.

Nesta época, começamos produzir postes de concreto e galpão de concreto "tipo Cavan".

Eu desenvolvi vários sistemas construtivos, entre eles o Pré-Morar que consistia de vigas e pilares, fundação sobre sapatas, todas pré-moldadas, inclusive a laje painel que tinha a espessura e 1.5 cm de argamassa armada. Sistema muito interessante, pois toda parte estrutural saia da fábrica, e em uma semana via-se toda estrutura pronta.

Desenvolvi também um bebedouro para gado de 4000 litros, empilhável para transporte. Transportavam-se em um único caminhão mais de oito bebedouros.

Abaixo vê-se lajes painéis empilhadas e a fôrma de concreto para execução de uma casa em abóboda, sem telhado.

Com novos aditivos no concreto e argamassa, o concreto está mais trabalhável podendo fazer peças bem complexas. Acredito que dentro de uma década, os vibradores como conhecemos, desaparecerão com o concreto fluído.